Blog

3 dicas para você criar uma cultura digital na sua instituição de ensino

Não foi somente por conta da pandemia de coronavírus que a sociedade começou a repensar os caminhos da sua educação. Muito antes disso, desde que os smartphones e tablets passaram a fazer parte da rotina da maioria dos brasileiros — inclusive aqueles em idade escolar —, o formato tradicional de educação deixou de fazer tanto sentido para dar espaço a uma cultura digital.

O modelo padrão, em que os professores entram na sala de aula e ficam posicionados de frente para os alunos, que se sentam enfileirados organizadamente para absorver os conteúdos, passa a ser obsoleto a partir do momento que, com uma pesquisa rápida no Google ou YouTube, cada um daqueles estudantes pode acessar todo um universo de novas informações.

Romper com esses paradigmas e implementar tantas mudanças quantas são exigidas por esse novo cenário não é fácil. Por isso, confira este artigo que preparamos com 3 dicas de como criar uma cultura digital na sua instituição trazendo somente benefícios a todos.

Os benefícios da cultura digital na educação

Quando falamos na implementação de uma cultura digital nas instituições de ensino, o objetivo principal é transformar todo o contexto e processos dessas empresas. Assim como em todos os outros setores da economia que passam pela transformação digital, essas mudanças precisam começar na mentalidade dos gestores e diretores das instituições, serem incutidas na forma de trabalho de todo o corpo docente e transmitida aos estudantes da forma mais inclusiva e leve possível.

Assim, temos que é preciso:

  • conhecer os recursos tecnológicos disponíveis que podem ser úteis;
  • compreender o processo de transformação digital nos diferentes setores e como ele pode se refletir na educação;
  • analisar, entender e agir de acordo com o comportamento dos estudantes já nascidos na era digital.

Dentre os inúmeros benefícios trazidos por essa prática para as instituições de ensino a preparação dos alunos para o mundo em que se vive hoje — e que tende a se manter e evoluir ainda mais no futuro —, é um dos principais. Em um mundo totalmente digitalizado, não desenvolver a fluência digital dos estudantes pode representar uma grande falha das instituições de ensino por não estarem entregando nem o que essas pessoas querem aprender, nem o que elas precisam. 

Além disso o posicionamento dos estudantes como protagonistas do processo de aprendizagem e a possibilidade de explorarem novas tecnologias dentro do ambiente educacional também são resultado da adesão à esta cultura digital.

Confira agora as dicas para a sua escola ou universidade também entrar neste processo.

#1 Ferramentas inovadoras para comunicação

O primeiro passo para levar a sua instituição de ensino para uma cultura digital está na adoção de ferramentas inovadoras para a realização da comunicação. Seja ela interna, entre os profissionais da escola ou universidade, seja ela externa, para com os estudantes, pais e responsáveis e comunidade escolar em um todo.

Canais como as redes sociais, que quando surgiram eram vistas como um elemento negativo de distração ou de desvio de objetivos, hoje precisam ser identificados como o canal onde esses estudantes estão e se comunicam, bem como seus familiares, pais e responsáveis, para que a instituição possa chegar a todos de forma simples e direta. 

Isso não significa que você enquanto gestor de uma instituição deva liberar o uso do celular de forma indiscriminada em sala de aula, mas que as redes sociais possam ser aproveitadas e incluídas no processo de ensino-aprendizagem de forma a atrair a atenção dos estudantes e fazer com que eles se engajem cada vez mais nas metodologias aplicadas.

Além disso, utilizar canais como blogs de instituições ou empresas que estejam falando sobre assuntos relacionados ao conteúdo de sala de aula também pode acrescentar muito e trazer elementos do mundo digital ainda mais para dentro deste ambiente. 

Aquilo que normalmente seria transmitido somente por livros didáticos ou pelas próprias aulas orais dos professores, pode agregar abordagens mais de mercado que já tragam ideias também aos estudantes sobre aplicações práticas daquela teoria que cai no vestibular. Para que já possam começar a abrir suas mentes para a escolha de uma profissão ou carreira, por exemplo.

#2 Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA)

Outra forma importante de trazer a cultura digital para dentro das instituições de ensino é por meio dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs), ou seja, as plataformas para aulas online como o Google Sala de Aula

Este recurso passou por um boom de utilização durante a pandemia visto que as aulas presenciais foram suspensas durante meses em todo o país e o ensino remoto foi regulamentado para todas as faixas etárias via Medida Provisória durante o período de calamidade.

Isso representou um importante catalisador para mudanças que há muito já poderiam ter sido implementadas, porém sempre esbarravam em algum impeditivo que as fazia serem descontinuadas. No entanto, com a pressão e necessidades impostas pela pandemia, as mudanças precisaram vir de forma rápida.

Para disponibilizar AVAs na sua instituição de ensino você pode desde adaptar o site da própria empresa para se tornar uma ferramenta com armazenamento de materiais e conteúdos, e também disponibilização das aulas; quanto contratar um fornecedor externo de LMS (Learning Management System) para estruturar um ambiente exclusivo para essa funcionalidade.

Você também pode contratar uma consultoria especializada e implementar recursos como o Google for Education, em que você não precisa se preocupar com o desenvolvimento de uma nova plataforma e pode usufruir de uma estrutura funcional e já pronta, contando com o auxílio de especialistas no assunto. Para mais informações, entre em contato!

#3 Conheça o programa Aluno Tutor de Tecnologia do Google for Education

Nada gera mais engajamento entre os estudantes do que evidenciar o quanto eles também são capazes e parte integrante da implementação de uma cultura digital na educação. Para isso, queremos apresentar como última dica de hoje o programa Aluno Tutor do Google for Education, que visa colocar estudantes na posição de mentores e tutores de outros grupos de forma organizada com base nos diferentes objetivos e atividades.

Por meio do voluntariado, grupos de estudantes se mobilizam para aprender a utilizar os recursos do Google for Education da melhor forma possível e depois multiplicar esse conhecimento tanto para outros estudantes como para os próprios dirigentes e professores da instituição. O recurso pode ser aplicado tanto em escolas quanto em universidades e representa um importante passo no fomento à implementação eficaz da cultura digital nas instituições.

Confira um depoimento sobre o programa na implementação de atividades junto à instituição UNIFEOB (Centro Universitário Fundação de Ensino Octávio Bastos) e com a expertise da parceira credenciada pelo Google for Education Nuvem Mestra e entenda melhor como funciona! Confira também depoimentos de alunos que participaram!
Para mais conteúdos como este, siga acompanhando o blog da Nuvem Mestra e caso conheça alguém que possa se interessar, compartilhe esse texto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *