10 anos de Chromebook: relembre esta trajetória

10 anos de Chromebook: relembre esta trajetória

10 anos do Chromebook

Os universos da tecnologia e da educação ganharam um presente há 10 anos, em 2011, quando o Google lançou um novo produto no mercado: o Chromebook. Quem também teve motivos para celebrar este lançamento foi o setor da educação, que desde os primeiros passos da tecnologia já começaram a identificar seu potencial para a área.

  Este ano, 2021, o Google está promovendo uma campanha de comemoração aos 10 anos da tecnologia, trazendo desde um novo visual para o Chromebook, até integrações e novas funcionalidades como melhorias e otimizações.

  Confira neste artigo um pouco da história do Chromebook desde seu lançamento e o que teremos de novidades para os próximos meses.

Como o Chromebook surgiu

Foi nos idos de 2011 que, quando ainda muito pouco se falava sobre computação em nuvem, o Google desenvolveu e lançou no mercado a tecnologia do Chromebook. Este produto consiste em um tipo de notebook que foi criado com configurações simples e leves para poder ser utilizado pelo maior número de pessoas possível.

  Hoje em dia é difícil imaginar uma realidade de usuários assíduos de notebook e computador onde não se armazena arquivos em servidores na nuvem como o Google Drive ou Dropbox, por exemplo. Mas nem sempre isso foi assim.

  O principal objetivo por trás do lançamento do Chromebook pelo Google era, então, popularizar a computação em nuvem, trazendo maior acessibilidade para este tipo de recurso que, à época, ainda era pouco conhecido e explorado. O conhecimento estava nas mãos das grandes empresas de tecnologia, e muito pouco da população comum tinha acesso.

  Por isso, o Google desenvolveu o Chromebook, um notebook com o próprio sistema operacional, o Chrome OS, que roda totalmente baseado na nuvem. Foi por conta dessa aproximação da nuvem com a população que este tipo de armazenamento foi se popularizando e ganhando o gosto das pessoas.

  Para minimizar desafios de acesso à internet, que no Brasil ainda representam cerca de 25% da população (mais de 46 milhões de pessoas), o Chromebook já surgiu com uma tecnologia que possibilita acesso a todas as suas funcionalidades e recursos de forma totalmente offline, ou seja, sem a obrigatoriedade de o usuário possuir acesso ou conexão à internet.

  Juntas, as características de integração com as ferramentas do Google Workspace for Education e a praticidade de uso no dia a dia fizeram do Chromebook um recurso quase que indispensável para uso dentro das instituições de ensino.

Os 10 anos do Chromebook

Em celebração aos 10 anos do surgimento dessa tecnologia que revolucionou a comunicação e a forma de trabalhar das pessoas, diversas novidades foram anunciadas pelo Google. Confira a seguir!  
  • Phone Hub: recurso que permite o controle de algumas funções chave dos smartphones através de uma seção na barra de tarefas do Chromebook;
    • Nearby Share: traduzindo para português, o recurso chama-se compartilhamento por proximidade, e permite que arquivos, contatos e mídias sejam compartilhados sem a necessidade de pareamentos, como é o caso com bluetooth, operando apenas pela proximidade;
    • Gravação de tela: a partir de agora, a área de relógio e bateria  do Chrome OS conta com um botão para capturar a imagem da tela inteira ou somente de uma seção específica de interesse;
    • Área de transferência aprimorada: com o investimento nesta funcionalidade, o Chrome OS permite agora que os últimos 5 links copiados para a área de transferência sejam disponibilizados quando o usuário aciona a ação de “colar”;
  • Conversor de texto: este recurso é um aprimoramento de algumas tecnologias já existentes na plataforma do Google que passa a permitir que a velocidade de narração seja alterada;
  • Conta escolar: as configurações e cuidados dos pais e responsáveis fica ainda mais usual com a criação desta conta, que permite que o Chromebook seja preparado para uso direto pelas crianças.
  Além disso, o Chrome OS foi repaginado e ganhou, além de um novo visual — com ícones em formato circular, se assemelhando ainda mais ao formato do Android —, um novo comportamento do sistema que restaura todas as abas automaticamente ao reiniciar

Movimentos importantes do mercado

A relevância e presença do Chromebook no mercado de tecnologia para computação se consolida cada vez mais, e neste ano de celebração de sua primeira década, traz números significativos. Segundo a consultoria de mercado IDC, em 2020 os Chromebooks superaram os MacBooks em números de vendas. Além disso, absorveram uma fatia da presença de mercado do Windows, assumindo posições cada vez mais relevantes.

  O principal mercado consumidor do Chromebook é a educação, no entanto, ao longo de 2020 essa demanda se expandiu também para o público final, o que justifica este grande aumento de compra do produto.

  Outro aspecto que diferencia muito o Chromebook dos demais notebooks é o Chrome Education Upgrade. Esta funcionalidade permite aos gestores de instituições de ensino — que são os maiores usuários da tecnologia — terem maior controle e acesso a dados. Assim, possuem caminhos mais assertivos para administrar as turmas e estudantes, controlando acesso às salas de aula, reuniões e também compreendendo melhor como está sendo feito este uso pelos alunos.

  Para maiores informações sobre o universo da tecnologia para educação e também para tirar eventuais dúvidas sobre este setor que ainda persistam, continue acompanhando nosso blog! Se você achou que este conteúdo pode te ajudar ou a algum colega, não deixe de compartilhar!

Deixe um comentário

Leia também